A Tribuna paga jornalistas com 15 dias de atraso e não garante regularizar situação

 trabalhe-conosco-rede-tribuna
Mais uma vez os jornalistas da Rede Tribuna demoraram quinze dias para receberem as verbas referentes ao adiantamento que deveriam terem sido pagas no último dia 15.
Mesmo diante ao tamanho atraso que já vem ocorrendo desde outubro de 2016, a empresa continua faltando com o diálogo e transparência junto aos funcionários sem dar um posicionamento detalhado da previsão de pagamento.
Ao ser questionada pelo Sindijornalistas, a resposta é sempre evasiva, “se entrar dinheiro de publicidade, pagamos”. Segundo informado foi regularizada a situação fiscal o que irá garantir o retorno das verbas publicitárias oriundas do setor público.
Além dos salários que estão sendo pagos com até 20 dias de atrasos, o plano de saúde com frequência tem sido suspenso por atraso e sem comunicação prévia, causando constrangimentos aos profissionais pois as consultas, exames de rotina e também de urgência precisam ser remarcados para outra data.
O convênio farmácia foi cancelado sem definição para o restabelecimento do mesmo.
A expectativa da empresa pagar o quinzenal de fevereiro antes do carnaval também não se concretizou. Somente nesta quinta-feira (02/03) o valor do adiantamento quinzenal começou a entrar na conta de alguns profissionais.
O Sindijornalistas lamenta e repudia tal conduta da empresa, pois os jornalistas estão sendo  seriamente prejudicados em relação aos pagamentos de seus compromissos financeiros e manutenção de suas famílias.
Exigimos uma comunicação efetiva e transparente quanto as reais providências que estão sendo tomadas para sanar a crise que já está chegando ao quarto mês.
É preciso que o Ministério Público do Trabalho (MPT), já acionado pelo Sindijornalistas, bem como a justiça do trabalho exerçam suas funções constitucionais garantindo que os direitos dos profissionais sejam devidamente respeitados e os prejuízos desses últimos meses sejam ressarcidos.