Carta aberta ao Governador Renato Casagrande

Vitória, 12 de agosto de 2021, 533° dia de Pandemia da Covid-19

Excelentíssimo senhor governador José Renato Casagrande 

Nós, aqui do Sindijornalistas/ES, escrevemos estas mal traçadas linhas, diretamente da Capital do Estado do Espírito Santo, uma das mais antigas do Brasil, para agradecer sua peculiar atenção aos reiterados  pedidos de nossa Entidade para que a categoria pudesse ser vacinada contra a Covid-19.

Pode ser que as correspondências enviadas ao seu governo e a vossa excelência tenham se extraviado no “longo caminho”  que separa a sede do Sindijornalistas da sede do Governo do Espírito Santo, ambas localizadas no Centro Histórico da capital capixaba, não é verdade?

Também pode ser que os contatos e pedidos feitos aos senhores Flávia Mignoni, Edmar Camata, Nésio Fernandes dentre outras figuras do governo do Estado não lhes tenham sensibilizado diante do número de doentes e de mortes que atingiram nossa categoria, sempre e cotidianamente na linha de frente da cobertura jornalística.

Cobertura essa sempre a favor das verdades e contra as inverdades que o senhor diz tanto combatê-las e ser contrário à política do mandatário federal, mas vislumbramos que lamentavelmente na prática atuou até o momento com semelhanças quanto ao desrespeito com os árduos profissionais jornalistas que não pararam sequer um dia de pandemia. E apesar do senhor dizer não concordar com a política de tal, repetiu em nosso Estado a mesma estratégia desse, de  não nos respeitar como categoria, não tendo até o dia desta missiva publicada sido vacinados. 

Ainda em fevereiro do ano da graça de 2021 fizemos o primeiro pedido. Reiteramos, meses depois em junho quando um de nossos diretores foi pessoalmente ao Palácio Anchieta. Sem contar as inúmeras ligações, e-mails, postagens reiterando nossos pedidos.

Estamos em luto pelos 278 jornalistas mortos no país. Mas seguimos na luta, na certeza que, apesar da ignorância sanitária por parte do atual governo Casagrande que seguiu sem nos vacinar, nossa atuação firme na defesa dos protocolos sanitários salvaram vidas.  

Nossa mais ampla solidariedade a todo povo brasileiro que sofreu perdas, mas em especial nossos colegas jornalistas e da comunicação que vivenciaram perdas e/ou contaminações em suas famílias. Muitas dessas que poderiam ter sido evitadas caso nosso governador tivesse garantida a vacinação a uma profissão tão essencial.

Diretoria do Sindijornalistas