Comissão da Verdade do Sindijornalistas encerra seus trabalhos e envia relatório final à FENAJ

A Comissão da Verdade dos Jornalistas capixabas finalizou esta semana o relatório de trabalho que apurou a perseguição aos jornalistas do Espírito Santo pela ditadura militar implantada no Brasil de 1964 a 1985.

Desde março de 2013, quando foi instalada, a Comissão da Verdade do Sindijornalistas colheu depoimentos de jornalistas torturados e presos nos quartéis militares e também entrevistou o ex- delegado do DOPS, Cláudio Guerra, um dos matadores da ditadura. Ao ser ouvido, Guerra reafirmou as denúncias por ele formuladas no livro “Memórias de Uma Guerra Suja”- dos jornalistas Rogério Medeiros e Marcelo Neto – a respeito do desaparecimento do dono do jornal “O Povão, José Roberto Jeveaux, e fez outros relatos sobre perseguições a jornalistas capixabas durante o regime militar.

Entre as histórias levantadas pela Comissão da Verdade do ES, estão as declarações dos jornalistas Vitor Costa (cassado pelos militares em 1969), Adam Emil Czartorisky ( perseguido após viagem à União Soviética), e Gildo Loyola (torturado em 1969 no quartel do Exército em Vila Velha). Também estão incluídos depoimentos de integrantes da própria comissão como Chico Flores (que reconstitui o fechamento do jornal “Folha Capixaba” – dirigida pelo jornalista, folclorista e professor Hermógenes Lima Fonseca -,em 1964, na primeira semana após o golpe, em plena rua Duque de Caxias, no Centro de Vitória); Rogério Medeiros e Rubinho Gomes, que relatam casos de censura e reconstituem fatos marcantes da atividade jornalística do Estado nos anos de chumbo.

A Comissão da Verdade do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Espírito Santo foi instalada em março de 2013, na Assembleia Legislativa do Estado, com a presença do presidente de honra da Comissão Nacional da Verdade criada pela Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ), Audálio Dantas, que na oportunidade lançou seu livro “As Duas Mortes de Vlado Herzog”.Integram a Comissão da Verdade do Sindicato, os jornalistas Rogério Medeiros, Tinoco dos Anjos e Suzana Tatagiba (os três ex-presidentes do Sindijornalistas), Rubinho Gomes, Glaucia Regina e Francisco Flores Rodrigues (Chico Flores).

A partir de agora, todos os relatórios estaduais estão sendo sistematizados pela Comissão Nacional da Verdade dos Jornalistas. Em seguida, comporão um documento final que será enviado à Comissão Nacional da Verdade do Brasil como contribuição do movimento sindical dos jornalistas para o esforço de vários segmentos da sociedade brasileira de resgate da memória da luta contra a ditadura.