Comunicação será debatida na 1ª Consocial

Brasília sediará, entre os dias 18 e 20 de maio, a Conferência Nacional sobre Transparência e Controle Social (Consocial). Um dos temas a serem abordados será a comunicação, tendo como foco o papel da mídia no combate à corrupção, livre acesso à informação e dados públicos, além do incentivo ao controle da gestão pública.

A conferência, que reunirá diversos segmentos, como governo, sociedade civil e conselhos de políticas públicas, debaterá proposições sobre transparência pública e controle social, além de diretrizes para prevenção e combate à corrupção. O tema será “A sociedade no acompanhamento e controle da gestão pública”.

A Consocial foi convocada pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva em oito de dezembro de 2010. Desde então tem sido realizadas em todo o Brasil, conferências municipais e estaduais. A de Vitória foi realizada nos dias nove e dez de dezembro de 2011, tendo a presidente do Sindijornalistas, Suzana Tatagiba,como um dos membros da Comissão Organizadora Municipal da 1ª Consocial.

Na ocasião, Suzana Tatagiba e a jornalista Elaine Dal Gobbo foram eleitas delegadas da etapa estadual, que acontecerá entre os dias primeiro e três de março de 2012. As conferências têm caráter propositivo. As diretrizes/propostas resultantes da etapa nacional subsidiarão a elaboração de um Plano Nacional sobre Transparência e

Controle Social para os órgãos da administração pública federal e demais poderes constituídos.

Elaine Dal Gobbo destaca a importância da categoria participar de debates como os proporcionados pela conferâncias. “É muito importante que a base possa atuar junto ao sindicato, não somente comparecendo às assembleias, debates e outros espaços de discussão política promovidos pela entidade, mas também representando a categoria em conferências dos mais diversos temas para levar os anseios dos trabalhadores”, afirma Elaine.

Para Suzana Tatagiba, a Conferância Nacional sobre Transparência e Controle Social é um espaço de fortalecimento da democracia. “As conferências dão a possibilidade dos mais diversos segmentos da sociedade civil contribuírem com suas propostas para a elaboração de políticas públicas”, diz Suzana.