Em audiência no MPT, A Tribuna não apresenta nenhuma solução e caso segue como Inquérito Civil

mptDurante audiência de mediação realizada na última segunda-feira (30) no Ministério Público do Trabalho (MPT-ES) os representantes da Rede Tribuna confessaram o atraso das verbas trabalhistas e revelaram que não há perspectiva de estabilização financeira para colocar em dia os atrasados e pagar os salários em dia.

Segundo a diretora de RH, Ângela Soares, a empresa está trabalhando apenas a curto prazo, ou seja, se entrar verba os salários serão pagos em dia, se não, quando for possível. Ainda confessou que a Rede Tribuna está devendo até mesmo o INSS e o FGTS de alguns trabalhadores.

O Sindijornalistas questionou quais as providências que o Grupo João Santos, do qual a Rede Tribuna é uma das empresas, está tomando para solucionar o caso; bem como se já houve negociação de antecipação de verbas junto ao SBT; ou se a há possibilidade de venda de bens do Grupo e/ou de seus sócios para pagar o que deve aos trabalhadores. A resposta da empresa foi a de que está atuando apenas para reforçar a entrada de publicidade para pagamento das dívidas.

Como a empresa assumiu todas as ilegalidades e não apresentou nenhuma perspectiva, o caso segue no MPT, como Inquérito Civil. O Sindicato espera que o MPT atue com agilidade investigando as irregularidades e aplicando sanções cabíveis diante a gravidade dos fatos, visto que o caso já foi denunciado no órgão desde novembro.

Para reforçar a Ação Civil Pública que tramita na Justiça do Trabalho, o Sindijornalistas protocolou a Ata da Audiência de Mediação naqueles autos, requerendo a nova análise do pedindo de antecipação de tutela, e ainda a antecipação da audiência marcada para maio, dado a gravidade dos fatos.

E para discutir os próximas ações a serem tomadas, o Sindicato convoca os jornalistas da Rede Tribuna para uma Assembleia Extraordinária, na próxima segunda-feira (06), às 11h e às 17h, na sede do Sindicato. Reforçamos a importância da presença de todos e informamos que é direito de todo trabalhador se ausentar de suas atividades para participar das assembleias convocadas pelo seu Sindicato sem prejuízos remuneratórios.