Fenaj conclama jornalistas a apoiarem vítimas de tragédia

O impacto da chuva que há quase dois meses atormenta a população de Santa Catarina é avassalador. Mais de 1 milhão e quinhentas mil pessoas foram afetadas. O último boletim da Defesa Civil catarinense registra oficialmente 84 mortes. A Fenaj se solidariza às vítimas da tragédia, entre elas jornalistas, e conclama os sindicatos e a categoria a colaborarem no apoio ao povo catarinense.

Quedas de barreiras, enchentes, destruição de casas, veículos, pontes e perda de vidas foram registradas em quase todas as regiões de Santa Catarina. Com o solo já encharcado por semanas seguidas, a intensificação da chuva nos últimos 5 dias provocou um quadro catastrófico em diversos municípios. O trânsito por via terrestre com o Rio Grande do Sul e com algumas regiões do Paraná foi interrompido.

A chuva diminuiu e o nível dos rios está baixando. Ainda assim, 8 municípios, com 97.680 pessoas, estavam isolados. Em diversos outros, há racionamento de água e, por medida de segurança, em alguns o fornecimento de energia elétrica foi cortado. Um imenso contingente de policiais, bombeiros, profissionais de saúde, funcionários públicos e voluntários está mobilizado no socorro às vítimas e na desobstrução de vias.

A principal preocupação, no entanto, é em assegurar abrigo, alimentação e cuidados com a saúde das pessoas afetadas pela enchente. Segundo o último boletim divulgado, além de 84 vítimas fatais já confirmadas, há 54.039 pessoas desabrigadas e 30 desaparecidas. Veículos de imprensa e dezenas de jornalistas, especialmente na região do Vale do Itajaí, também sofrem com os danos da tragédia.

“Neste momento, o mais importante é socorrer e apoiar as vítimas do desastre. Mas é preciso também apurar as reais responsabilidades e questionar as autoridades sobre o que poderiam, ou melhor, deveriam ter feito para evitar ou minimizar as conseqüências”, alerta o presidente da Fenaj, Sérgio Murillo de Andrade. “Como cidadãos e, especialmente jornalistas, temos a obrigação de questionar” – diz ele – “e não aceitar que a culpa seja exclusivamente atribuída à natureza”.

A Defesa Civil de Santa Catarina abriu contas bancárias para receber doações (Banco do Brasil – Agência 3582-3, Conta Corrente 80.000-7 / Besc – Agência 068-0, Conta Corrente 80.000-0. O / BRADESCO S/A – 237 Agência 0348-4, Conta Corrente 160.000-1 nome da pessoa jurídica é Fundo Estadual da Defesa Civil, CNPJ – 04.426.883/0001-57) que serão utilizadas para a compra de mantimentos. Colchões ou colchonetes, cobertores, alimentos não perecíveis, água potável também são necessários. As defesas civis nos Estados estão montando postos de recolhimento. Para mais informações sobre como auxiliar, acesse www.defesacivil.sc.gov.br

Fonte/matéria: FENAJ