Fenaj denuncia no Senado retaliações a jornalistas capixabas

A presidenta da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), Maria José Braga, denunciou nesta segunda-feira (1/7), os casos de retaliação e hostilização sofridos por jornalistas, em Vitória, Espírito Santo nos últimos quinze dias.

 

A denúncia foi realizada na 6ª Reunião Ordinária do Conselho de Comunicação (CCS) do Senado Federal, em Brasília.

 

Neste domingo (30/6), uma equipe da TV Tribuna, afiliada do SBT no Espírito Santo, foi hostilizada. O repórter Vinícius Rangel e o cinegrafista Diego Gama foram obrigados a descer de um trio elétrico, em Vitória, durante a cobertura da manifestação pró-governo Bolsonaro e de apoio ao ministro da Justiça, Sérgio Moro.

 
“No Espírito Santo, em Vitoria, uma equipe da TV Tribuna, eles com outras equipes de TV tinham tido acesso ao trio eletrico dos organizadores para fazer imagens e etc, mas a equipe foi obrigada a descer sob hostilização de uma das pessoas da organização e não só diretamente para a equipe, mas ao microfone houve manifestação de que a equipe da TV Tribuna e os jornalistas do jornal A Tribuna e A Gazeta não serviam para noticiar. Um ataque generalizado aos profissionais e aos veículos de Comunicação de Vitória”.

 
A presidente da Fenaj também denunciou a retaliação sofrida pelo jornalista Vitor Vogas, colunista do jornal A Gazeta.

 
“Também no Espírito Santo, no dia 26 de junho, o jornalista Vitor Vogas foi atacado pelo senador Marcos Do Val (PPS). O senador usou as redes sociais para questionar a atuação do jornalista, colocar em xeque sua lisura profissional e também convocou a população a se manifestar contra a imprensa. Por que? O jornalista fez uma reportagem sobre nomeações realizadas pelo senador, caracterizando nepotismo cruzado. Então a insatisfação gera a violência.”

 

 

As denúncias no CCS do Senado foram à pedido do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado do Espírito Santo que está tomando todas as medidas cabíveis para garantir que as últimas agressões sejam elucidadas e evitar novos ataques.

 

 
O Sindijornalistas manifesta ainda sua preocupação com os demais ataques ao livre exercício profissional do jornalismo, como no caso da equipe da TV Vitória, afiliada da Rede Record, que foi impedida de trabalhar, ao vivo, por ocupantes de um veículo no mês de maio, em Vitória. E outra equipe da mesma emissora, que teve o carro incendiado nas proximidades de uma delegacia.

 

 
Mais uma vez, cobramos do secretário de Estado da Segurança Pública, Roberto Sá, que tais agressores sejam identificados e punidos. É preciso que haja punição para que ataques a jornalistas e à imprensa não sejam vistos com normalidade, uma vez que são inadmissíveis.

Veja a fala da presidenta da Fenaj em 1h47min.