Formação e regulamentação são temas do segundo dia da Semana pela Democratização da Comunicação

Dando continuidade às atividades da V Semana pela Democratização da Comunicação, na terça-feira (19) ocorreu um debate sobre formação em comunicação social e regulamentação profissional do jornalismo, com a presidente do Sindijornalistas (Suzana Tatagiba), o professor do Departamento de Comunicação Social da Ufes Edgar Rebouças e o diretor de organização do Centro Acadêmico de Comunicação Social da Ufes (Cacos) Ricardo Aiolfi.

Na ocasião Suzana Tatagiba distribuiu o manifesto dos jornalistas brasileiros em defesa da democratização da comunicação, elaborado pela Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) para convocar a sociedade a libertar a liberdade de imprensa, transformada em patrimônio privado pelos monopólios da comunicação. O manifesto reivindica, por exemplo, a implementação das medidas aprovadas na Conferência Nacional de Comunicação (Confecom), a Criação do Conselho Nacional de Comunicação e a volta da exigência do diploma para exercer a profissão de jornalista.

Segundo Suzana, os grandes veículos de comunicação se apropriaram do termo liberdade de expressão para refutar as críticas em relação ao jornalismo feito por elas. “Para os veículos de comunicação tudo é liberdade de expressão. Ninguém pode mostrar discordância em relação ao conteúdo veiculado por eles que as empresas alegam que isso fere a liberdade dela de se expressar. Todos têm direito de ser contrário a uma determinada posição. Por isso a fez Fenaj fez esse manifesto”, explica Suzana.

A presidente do Sindijornalistas defendeu a criação do Conselho Federal de Jornalismo como forma de regulamentação e fiscalização da profissão, cabendo aos sindicatos o papel de ficar com as questões trabalhistas. Suzana também acredita que a profissão de jornalista está muito desvalorizada. “Não há critério nenhum para ser jornalista, qualquer um pode ser. Existem casos, depois da decisão do STF, de pessoas que tiraram o registro sem nem aos menos saber escrever”, relata.

O professor do Departamento de Comunicação Social da Ufes Edgar Rebouças fez um breve resgate da trajetória dos cursos de jornalismo. De acordo com ele, o primeiro surgiu em 1908, na Universidade de Missoure, nos Estados Unidos. Para Edgar, as áreas de rádio e tv, jornalismo, publicidade, cinema e edição devem manter suas especificidades, mas sem se desvincular da área da comunicação. No que diz respeito à exigência do dilploma de jornalista, segundo o diretor de organização do Cacos Ricardo Aiolfi a Executiva Nacional dos Estudantes de Comunicação Social (Enecos) é favorável nas relações capital trabalho, e não em meio à comunicação popular, como no caso das rádios comunitárias.

A V Semana pela Democratização da Comunicação continua nesta quarta-feira (20) com o debate “Panorama do sistema de comunicação no país e balanço da 1ª Conferência Nacional de Comunicação (Confecom). Os convidados são o representante do Coletivo Intervozes Jacson Segundo, o presidente da Fenaj e coordenador executivo do Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC) Celso Schröder  e a secretária de comunicação da Prefeitura de Vitória Ruth Reis.

 

Quarta-feira (20/10)

Debate: Panorama do sistema de comunicação no país e balanço da 1ª Conferência Nacional de Comunicação (Confecom)
– Jacson Segundo (Coletivo Intervozes).
– Celso Schoroder (Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação – FNDC)
– Ruth Reis (Secretária de Comunicação da Prefeitura Municipal de Vitória).


Lançamento da revista "Relatório da 1ª Confecom" e do livro "Sistemas Públicos de Comunicação no mundo: experiências de doze países e o caso brasileiro", do Intervozes.

Quinta-feira (21/10)

19h: Mostra de Vídeos Populares do CCCP Olho da Rua.
Local: Casarão de Paul (Vila Velha) / Estrada Jerônimo Monteiro, s/n , próximo ao viaduto de Paul.

OFICINAS:
Inscrições: cccp.olhodarua@gmail.comEste endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o Javascript terá de estar activado para poder visualizar o endereço de email ou 3359-0727 e 9890-1017


Oficina de leitura crítica dos meios de comunicação. Observatório da Mídia
Regional (Projeto de pesquisa e extensão da UFES).
Vagas: 15 pessoas
Data: 19 e 20/10
Horário: 14h ÀS 17h
Local: Cemuni V

Oficina de vídeo. (Ramon Zagoto)
Vagas: 10 pessoas
Data: 18 a 20/10
Horário: 13h às 17h
Local: Laboratório de vídeo  Comunicação de Social -UFES

Oficina de rádio. (Aidê Malanquini).
Vagas: 10 pessoas
Data: 18 a 20/10
Horário: 13h às 17h
Local: Laboratório de áudio  Comunicação
Social – UFES