Jornalistas capixabas conquistam plano de previdência complementar com a FENAJprev

O Sindicato dos Jornalistas e a Fundação Petrobras de Seguridade Social (Petros) assinam nos próximos dias o plano de previdência complementar para jornalistas capixabas e do Brasil. O lançamento do plano será nesta quinta-feira, dia 28, em Belo Horizonte (MG), com a presença do ministro da Previdência Social, José Pimentel, e do secretário de Previdência Complementar, Ricardo Pena.

Há 15 dias uma representante da Petros esteve na sede do SindiJornalistas discutindo o plano com o diretor do sindicato, jornalista Chico Pardal, quando detalhes da previdência complementar foram colocados na mesa e que serão repassados aos jornalistas capixabas em breve: “o plano é interessante para quem pensa no planejamento futuro”, disse Chico Pardal.

A Petros tem o foco de sua atuação voltado para os empregados da Petrobras, sua principal patrocinadora, mas tem ampliado as suas fronteiras e trabalhado com empresas e entidades de outras categorias, como médicos, artistas, administradores, dentistas e, agora, jornalistas capixabas e de todo o Brasil.

Para o presidente da Petros, Wagner Pinheiro, o papel da previdência complementar é justamente o de cuidar do futuro de quem hoje presta serviços à sociedade, mas que nem sempre se preocupa com um amanhã mais tranqüilo para si mesmo. “A Fundação sente-se muito honrada em administrar a previdência complementar para esta importante categoria profissional, que vive de informar a sociedade.”

A presidente do SindiJornalistas, Suzana Tatagiba disse ontem que é importante que cada jornalista capixaba pense no futuro e faça a opção por este tipo de previdência complementar. Assegurou que o SindiJornalistas, através da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), está dando todo o suporte para que os jornalistas capixabas possam conhecer e fazer a opção pelo plano.

Já o presidente da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), Sérgio Murilo, ressalta que o lançamento do plano FENAJprev é uma demonstração da evolução e maturidade do movimento sindical da categoria. ”Sem abandonar as principais razões de sua existência – a luta por melhores salários e condições de emprego –, nossos sindicados passaram a se envolver com questões de importância para a cidadania, como a democratização da comunicação, e a incorporar agendas e ações que alcançam os jornalistas de modo integral. Saúde e previdência, por exemplo, são, hoje, pauta de campanhas salariais da nossa categoria.”

Sérgio Murilo disse que a Fenaj e seus 31 sindicatos filiados seguem defendendo uma previdência pública, universal e de qualidade, como direito e conquista de todo povo brasileiro. No entanto, assim como
outras entidades representativas de diversas categorias de trabalhadores, interessa à Federação e aos sindicatos oferecer serviços que assegurem mais benefícios aos jornalistas e seus familiares. Murilo acentua que “a estruturação do Plano seguiu um rigoroso e democrático processo, principalmente na escolha das parcerias, levando em conta critérios de solidez e seriedade, como no caso da Petros”.

Para ele, o FENAJprev é, antes de qualquer coisa, previdência complementar. “Mas, além disso, é uma grande oportunidade para um tipo de trabalhador que se especializou na descrição do presente, mas que também tem compromissos e obrigações com o futuro.”

Já aderiram ao novo plano instituído, os sindicatos do Espírito Santo, Rio de Janeiro, Paraná, Minas Gerais, Pernambuco, Goiás e Tocantins, representando um universo de cerca de 18 mil filiados, que podem aderir ao plano administrado pela Petros. A Fundação, prestes a completar 40 anos, administra hoje planos para 130 mil participantes de 79 empresas e entidades, sendo a Petrobras a principal patrocinadora, com cerca de 110 mil participantes.

LANÇAMENTO DO FENAJPREV

ONDE: Espaço Cultural do Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais (av. Álvares Cabral, 400 – Centro – BH – MG)
QUANDO: 28/5, às 18h.
PRESENÇAS CONFIRMADAS: ministro da Previdência Social, José Pimentel, e do secretário de Previdência Complementar, Ricardo Pena.