Jornalistas definem pauta para a campanha salarial 2018/2019

Em assembléia Geral Extraordinária a ser realizada no dia 8 de março, a partir das 19 horas, no auditório do Sindipúblicos, Centro de Vitória, os jornalistas capixabas vão definir a Pauta de Negociação da Campanha Salarial 2018/2019.

Com a aprovação da Reforma Trabalhista, o momento exige a união urgente de todos os jornalistas. A assembleia será o espaço de discussão e aprovação da pauta de reivindicações da categoria, que deve abarcar os interesses dos jornalistas dos diversos setores.

O Coordenador Geral do Sindijornalistas-ES, Douglas Dantas, destaca a importância da participação da categoria. A conjuntura atual é extremamente difícil para todas as categorias profissionais. A crise é ainda maior para os jornalistas capixabas que registraram aumento acentuado no número de desempregados após a entrada em vigor da contrarreforma trabalhista.

“Vivemos uma conjuntura de crise econômica, desemprego e uma nova legislação trabalhista baseada na retirada de direitos que tornou a negociação com os patrões ainda mais difícil. É preciso que todos se mobilizem em torno de uma pauta para garantir que nossas reivindicações sejam acatadas. Muitas categorias têm conseguido preservar conquistas e avançar em novos ganhos em função de uma grande mobilização coletiva”, disse Dantas.

Após a entrada em vigor da contrarreforma trabalhista, foi abolida a Contribuição Sindical anual obrigatória e os sindicatos ficaram sem a principal fonte de receita.  Por isso, durante a Assembleia será definido como os jornalistas do Estado irão realizar o financiamento da sua entidade.

Apesar da queda da receita, e mesmo com todos os cortes realizados, o Sindicato possui despesas fixas como assessoria jurídica, contábil, profissional para atendimento das demandas diárias, além de custos com a manutenção da sede. Atualmente, as receitas com as mensalidades giram em torno de R$3 mil, possuindo despesas médias de até R$ 7 mil reais. Essa diferença era equilibrada com o valor da Contribuição Sindical. Por isso, a extrema importância da categoria discutir uma nova forma de manter o Sindicato ativo.