Jornalistas denunciam assédio e machismo em redação no ES

As jornalistas capixabas se uniram nesta sexta-feira (27) para denunciarem um caso de machismo e assédio ocorrido na redação de A Tribuna.
Apesar da empresa ter alertado os jornalistas sobre a prática desrespeitosa, alguns ‘machos’ continuaram com atitudes que fogem ao bom convívio entre colegas de trabalho.
O Sindijornalistas e a Fenaj repudiam a atitude machista e o assédio praticado e defende, conforme preconizado em nosso Código de Ética, o respeito entre todos da categoria. Abaixo reproduzimos  um texto explicativo produzido pela jornalista Tainá Campos.
Para adquirir as camisetas da campanha, devem ir ao setor de Vestimenta da Escola de Samba Unidos de Jucutuquara, onde estão sendo encomendadas por R$20.

“Desculpa o textão. Mas o assunto é muito sério e merece atenção.Ser mulher não é fácil. Cada dia é uma afronta. Cada dia ouvimos o relato de alguma amiga, colega ou conhecida que sofreu algum tipo de assédio.

Mas uma forma de vencer o machismo é as mulheres se unirem em uma só voz contra ele. Por isso esta é uma sexta-feira muito especial. Um dia que as jornalistas do Espirito Santo se unem para protestar contra o abuso, ainda mais no ambiente de trabalho.

Uma jornalista capixaba passou o dia de folga na praia, se divertindo com familiares. Ela compartilhou a alegria do dia na história do instagram. Na foto, ela estava de biquíni, posando ao lado do seu namorado e uma tia.
Situação normal de qualquer pessoa que possui rede social hoje em dia. O que ela não esperava era o que viria depois dessa ação tão simples.

Um “homem”, que compartilha do mesmo local de trabalho, printou e compartilhou a foto dela em um grupo de whatsapp só de homens também do trabalho. Além do seu próprio comentário, inúmeros outros com conteúdo sexual e zooms em suas partes íntimas foram gerados.
Alguns não reagiram à foto, mas também não fizeram nada para impedir a falta de respeito com a colega de trabalho.

A única coisa que nos veio à cabeça quando tudo foi exposto foi a sensação de impotência frente ao machismo diário que reverbera até nas mais simples situações das nossas vidas, a violação e a falta de respeito quando nos classificam e nos taxam como objeto.

Por conta disso, mas não somente por isso, nos unimos em solidariedade a ela. Nos respeite, só isso!
Comportamentos machistas como este não podem ser mais aceitos ou minimizados com a desculpa de que “era apenas uma brincadeira”, ou “ele foi imaturo”. Já Chega!

#MexeuComUmaMexeuComTodas
#JuntasSomosMaisFortes
#DeixaElaTrabalhar

#MeRespeite #SóIsso #jornalistasdoES #jornalismo #machismo #assedio #luta #vivaomatriarcado