Jornalistas fecham acordo coletivo de trabalho

banner_assembleia-1024x404O Sindicato dos Jornalistas e as empresas de comunicação do Espírito Santo assinaram, na terça-feira (17/6), a nova Convenção Coletiva de Trabalho. Em assembleia geral, no dia 16,  a categoria aceitou a segunda contraproposta dos sindicatos patronais Sertes e Sindijores. O reajuste salarial ficou em 8,34%, percentual da inflação acumulada no período. Com o índice, o piso dos jornalistas passou a ser de R$1.807,05 nos jornais com circulação diária, situados na capital para a carga horária de cinco horas.

O percentual de reajuste será aplicado em todos os níveis salariais. Outras verbas também foram reajustadas, a exemplo da verba de apresentação para repórteres e apresentadores de televisão, que passa a ser de R$ 595,00. Foram mantidas todas as cláusulas da convenção e aditivo anterior, como a liberação do registro de ponto de entrada e saída do intervalo da intra-jornada de trabalho, que continua sendo concedido de forma flexível durante o horário de trabalho.

Também a cláusula em que a empresa deve custear a alimentação do jornalista toda a vez que ele for solicitado a cumprir jornada superior a uma hora, além daquela prevista no seu contrato de trabalho.  A jornada legal do jornalista é de cinco horas, podendo chegar até sete horas, sendo essas duas horas adicionais remuneradas como horas extras.

Negociação – na primeira rodada de negociação o reajuste oferecido pelas empresas foi de 6%, percentual recusado pelos jornalistas, em assembleia. Numa segunda negociação com o Sindijornalistas, no último dia 10, as empresas chegaram a 8,34% de reajuste sem parcelamento, o que a categoria decidiu por aceitar. A  nova Convenção Coletiva de Trabalho terá vigência de 1º de maio de 2015 a 30 de abril de 2016.