Dia Nacional da Consciência Negra jornalistas

enjiraNesta quinta-feira (20/11), quando o Brasil celebra o Dia Nacional da Consciência Negra, a Federação Nacional dos Jornalistas e seus 31 sindicatos filiados reafirmam compromisso com os princípios e propostas contidos na Carta da Igualdade de Maceió, resultado do I Encontro Nacional dos Jornalistas pela Igualdade Racial (I ENJIRA) e referendada no 36º Congresso Nacional dos Jornalistas, realizado também em Alagoas. estado que mais mata jovens negros no Brasil. O Espírito Santo é o segundo.

O documento ressalta a importância de uma reflexão maior por parte da sociedade e, especialmente dos jornalistas brasileiros, para que todos possam avançar na luta pela igualdade racial como fundamental para a democracia.

As representações dos negros, negras e grupos historicamente discriminados no jornalismo e a destinação de verbas públicas para as mídias negras foram alguns dos temas que ordenaram as reflexões tecidas no I ENJIRA e nos estimularam a pensar no projeto de democracia que cimenta o desenvolvimento deste país. Durante o debate, também sublinhamos, enfaticamente, a existência de uma ditadura estética eurocêntrica na imprensa, a reduzida presença de jornalistas negros nas redações e a necessidade de inclusão da temática étnico-racial no currículo das faculdades de jornalismo.

Tornou-se moeda corrente a afirmação de que a democracia, um dos motes do 36º Congresso, não se coaduna com racismo. Discutir a situação dos jornalistas, do jornalismo e da democracia deve obrigatoriamente nos levar a assumir a superação do racismo brasileiro como nexo prioritário para o exercício do bom jornalismo, calcado nos princípios de transparência e de combate a toda sorte de desigualdades.

Não se põe mais em questionamento o fato de o Brasil ser um país marcadamente racista. Alguns indicadores não deixam dúvida: o nosso IDH fica na margem do 79º lugar no ranking mundial. Quando desagregamos essa posição por raça, a população negra fica no 114º lugar e a branca no 38º lugar.  Mulheres e homens negros permanecem ganhando menos que homens e mulheres brancas.  As altas taxas de extermínio da juventude negra, especialmente dos homens, são uma tragédia social. Alagoas, que sediou o 36º Congresso, é o estado que mais mata jovens negros no Brasil.

O Dia Nacional de Zumbi e da Consciência Negra foi instituído oficialmente pela lei nº 12.519, de 10 de novembro de 2011. A data faz referência à morte de Zumbi, o então líder do Quilombo dos Palmares – situado entre os estados de Alagoas e Pernambuco.