Jornalistas visitam Quilombo dos Palmares em Alagoas

Após o encerramento do 1º Encontro Nacional de Jornalistas pela Igualdade Racial ( ENJIRA), realizado no dia 02/04, em Maceió, Alagoas, como parte  integrante do 36º Congresso Nacional dos Jornalistas brasileiros, os delegados e observadores do evento participaram de uma expedição ao Quilombo de Palmares, localizado na Serra da Barriga, em União dos Palmares(AL). Entre o grupo que realizou este trabalho de campo estava o jornalista Douglas Dantas, delegado do Sindijornalistas ao 1º Enjira.

Coube a Helcias Pereira – vice-presidente do Mocambo Anajô, coordenador nacional de formação dos APNs e membro do Conselho Nacional de Promoção da Igualdade Racial (CNPIR) – apresentar todos os espaços temáticos e contemplativos do Parque Memorial Quilombo dos Palmares, além de repassar as explanações históricas sobre a organização sociopolítica e militar no Quilombo dos Palmares.

Entre os pontos visitados, esteva a gameleira branca, uma árvore que estimam ter mais de 300 anos, e que também é símbolo da resistência, pois é uma sobrevivente à destruição do quilombo, bem como a posteriores incêndios e ataques de cupins. Sob ela, repousa uma lagoa onde os habitantes se banhavam e utilizavam a água para demais necessidades do dia a dia. No entanto, o local, segundo registros históricos, também foi palco do maior derramamento de sangue, onde foram encontrados milhares de corpos e cabeças separados.

 Cojiras 

O passeio ao local de maior resistência quilombola foi acompanhando por quinze jornalistas de todo o país interessados em conhecer a história e contribuir no aprofundamento das discussões das Cojiras ( Comissão dos Jornalistas Pela Igualdade Racial e de Gênero).

As comissões são um espaço dos profissionais para contribuir na discussão do racismo e demais preconceitos nos locais de trabalho, bem como fomentar junto à imprensa a produção de reportagens que abordem o tema.

“Nosso objetivo é levar agora ao Espírito Santo a discussão nacional. Já vínhamos articulando a nossa futura comissão. Os debates no Enjira foram muito produtivos e irão contribuir para que possamos criar uma comissão forte e representativa, unindo os jornalistas que lutam em favor da equidade em nossa sociedade, contribuindo para eliminar os preconceitos de raça, cor, gênero e etnias” comenta Douglas Dantas, diretor do Sindijornalistas.

Homenagem

O grupo realizou ainda uma homenagem ao jornalista Abdias do Nascimento, ícone da luta contra o racismo na profissão. Falecido em 2011, as cinzas do profissional foram enterradas com uma muda de baobá, que hoje já é um arvoredo, conforme pedido do próprio homenageado. Os jornalistas fizeram uma roda ao redor da árvore relembrando a trajetória de Abdias, ao final uma salva de palmas. Abdias do Nascimento é o nome do único e principal prêmio de jornalismo sobre Raça e Etnia.