Manifestantes pró-Bolsonaro atacam a imprensa e hostilizam equipe da TV Tribuna

Uma equipe da TV Tribuna foi hostilizada e obrigada a descer de um trio elétrico, em Vitória, durante a cobertura da manifestação pró-governo Bolsonaro e de apoio ao ministro da Justiça, Sérgio Moro. O caso ocorreu na tarde deste domingo (30/6) e os manifestantes ainda dirigiram ataques ao trabalho da imprensa.

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Espírito Santo (Sindijornalistas/ES) e a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) manifestam seu total repúdio a tais atitudes. O direito de manifestação é livre, mas o respeito às equipes de reportagem e à imprensa é crucial na manutenção do Estado Democrático de Direito.

Ataques à imprensa são ataques à democracia e, infelizmente, são incitados muitas vezes por aqueles que estão no poder e deveriam entender o papel do jornalista. Em uma sociedade cada vez mais alimentada por notícias falsas, o trabalho dos jornalistas se torna cada vez mais importante.

De acordo com relatos em redes sociais e de outras equipes que estavam no local, o repórter Vinícius Rangel e o cinegrafista Diego Gama da TV Tribuna faziam imagens da multidão quando avistaram equipes de outras emissoras em cima de um trio.

Segundo os relatos do repórter em rede social, ele e o cinegrafista foram até o local e pediram permissão para subir no trio dos manifestantes.

“Um rapaz que seria o responsável autorizou. Subimos e o cinegrafista começou a fazer as imagens. Durante o período que ficamos lá, uns cinco minutos, surgiu um homem perguntando se eu era de A Tribuna”, contou o repórter.

“Já apontando o dedo na minha direção dizendo que não queria a presença da equipe lá. Disse apontando o dedo na minha cara que era para eu sair. Fez o mesmo com o cinegrafista e aumentando a voz e falando frases de agressão. Foi nos empurrando, forçando a gente a descer de qualquer forma. Pedi calma a ele e mais educação”.

Diante da situação, a equipe desceu. “Totalmente abalados com a situação sem acreditar na forma que fomos tratados. Quando descemos ele ainda gritou lá de cima que não podíamos entrar. Não tínhamos autorização”.

Segundos depois, de acordo com os relatos, o mesmo homem pegou um microfone e de cima do trio fez questão de dizer que expulsou uma equipe de A Tribuna porque não tinha autorização pra subir. Que A Tribuna não era bem vinda no local. Que os jornais A Tribuna e A Gazeta não serviam.

Na saída ainda, já dentro do carro, um outro homem embarcou num veículo ao lado da equipe de A Tribuna e questionou: “tá filmando? Vocês só podem filmar petralhada.. amanhã eu compro o jornal heim…”

O Sindicato dos Jornalistas destaca que jornalistas são trabalhadores e têm o direito de exercer nossa profissão com dignidade. Cobramos das autoridades, na pessoa do secretário de Estado da Segurança Pública, Roberto Sá, que os responsáveis por tais atos sejam identificados, uma vez que esta não é a primeira vez nos últimos meses que profissionais da imprensa são hostilizados ou impedidos de exercer seu trabalho.

Temos a certeza de que a violência contra jornalistas não pode se tornar lugar comum.

Alteração da imagem

Atendendo a solicitação do Movimento Ação Brasil, trocamos a imagem visto que a anterior aparecia a bandeira do grupo e este, conforme nota publicada em nosso facebook esclarece que “nunca, repetindo, nunca tivemos esta atitude. Inclusive na manifestação anterior, a equipe da Gazeta fez todo o trabalho em cima do nosso trio, fazendo o trajeto de Vila Velha a Vitória conosco. Somos 100% a favor da presença da imprensa em nossos movimentos, pois só assim poderemos mostrar o que defendemos e a forma ordeira que é nossa principal característica. Inclusive, já demos entrevista para o repórter Kleber, da Tribuna, quando tivemos um excepcional relacionamento. Se houve tal agressão, nos colocamos a disposição para esclarecimentos e também identificação do agressor. Não aceitamos e não permitiremos pessoas com esta índole (péssima) em nossos movimentos.
Desejando poder contar com o respeito e consideração desta instituição, nos colocamos a disposição de vocês para o que for necessário”.