Mobilização nacional derruba veto da governadora contra o diploma no RS

Com um forte apoio em todo o Brasil, os jornalistas gaúchos conquistaram uma importante vitória na luta em defesa da regulamentação profissional. A Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul derrubou nesta terça-feira (18/05) o veto da governadora Yeda Crusius (PSDB) ao projeto de lei 236/2009 de autoria do deputado Sandro Boka (PMDB), que determina a obrigatori edade do diploma em Jornalismo para o exercício da profissão no serviço público estadual. O projeto de lei foi aprovado em março pelos deputados gaúchos por unanimidade e depois vetado pela Governadora. O veto foi derrubado por 35 votos, contra três favoráveis à manutenção.

Com um forte apoio em todo o Brasil, os jornalistas gaúchos conquistaram uma importante vitória na luta em defesa da regulamentação profissional. A Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul derrubou nesta terça-feira (18/05) o veto da governadora Yeda Crusius (PSDB) ao projeto de lei 236/2009 de autoria do deputado Sandro Boka (PMDB), que determina a obrigatori edade do diploma em Jornalismo para o exercício da profissão no serviço público estadual. O projeto de lei foi aprovado em março pelos deputados gaúchos por unanimidade e depois vetado pela Governadora. O veto foi derrubado por 35 votos, contra três favoráveis à manutenção.

Liderados pelo Sindicato da categoria, pela FENAJ e por entidades integrantes da campanha em defesa do diploma, Jornalistas, professores, estudantes de Jornalismo e apoiadores do movimento acompanharam a sessão da Assembleia Legislativa que apreciou o veto da Governadora. "É uma vitória histórica que mostra a disposição de luta da nossa categoria", comemora o presidente do Sindicato gaúcho, José Nunes. O presidente do Sindicato destacou o apoio e a compreensão dos parlamentares de todos os partidos que integram a Assembleia. "Os deputados ga&ua cute;chos disseram sim à educação no Brasil, ao contrário dos ministros do Supremo’’, destacou.

Para o vice-presidente da FENAJ, Celso Schroder, que acompanhou a votação, a decisão do parlamento gaúcho deve servir de referência pra todo País. "Várias Assembleias e Câmaras Municipais apreciam projetos semelhantes e, com certeza, essa decisão vai apoiar a aprovação dessas matérias", lembra Schroder. Para o vice-presidente da Federação a formação superior específica para o exercício da profissão é um instrumento para defender a qualidade, a democracia e a ética no Jornalismo e que, por isso, é uma exigência de toda a sociedade brasileira. Segundo ele, após essa fase de apresentação de projetos de lei nos municípios e estados, a FENAJ d eve se dedicar a aprovação da exigência do diploma no serviço público federal.

Texto/Fonte: Site FENAJ.