Nesta sexta-feira jornalistas voltam a discutir reajuste salarial

Dirigentes do Sindicato dos Jornalistas e representantes dos sindicatos patronais voltam à mesa de negociação salarial nesta sexta-feira, dia 26, em duas sessões: às 9h30, no Sindicato das Empresas de Rádio e Televisão do ES (Sertes) e às 14h30, no Sindicato das Empresas de Jornais, Periódicos, Revistas e Similares no Estado do ES (Sindjores).

Apesar de os jornais brasileiros comemorarem uma excelente fase de crescimento: R$ 1,65 bilhão com a venda de espaços para anúncios e classificados no primeiro semestre deste ano, conforme matéria publicada no O Globo Online, no último dia 25 de agosto, no estado os empresários do setor ainda não fecharam acordo coletivo de 2008 com os trabalhadores.

A receita dos jornais este ano foi 19,8% maior que a da primeira metade de 2007; os investimentos publicitários em mídia no país somaram R$ 9,56 bilhões, o que significou um aumento de 16,3% sobre os primeiros seis meses do ano passado. Com isso, a fatia dos jornais no bolo publicitário passou a ser de 17,25%, acima dos 16,3% em dezembro e dos 16,7% em junho de 2007.

“Os números mostram que os ganhos dos jornais têm sido relevante, mas pelo que se vê ainda não serviu para sensibilizar os empresários a conceder reajuste salarial aos seus trabalhadores”, diz a presidente do Sindijornalistas, Suzana Tatagiba. Segundo ela, com relação às clausulas econômicas do acordo coletivo, a categoria ainda não teve uma proposta  aceitável. No último encontro entre o sindicato dos jornalistas e o sindicato das empresas de comunicação (Sertes e Sindjores) o patronato insistiu em reposição salarial de 5% (percentual abaixo da inflação dos últimos 12 meses, que é de 5,9%),  sem ganho real.

Os jornalistas querem reposição total da inflação, ganho real de 5% e tíquete alimentação.  Na reunião de amanha os jornalistas esperam receber uma nova proposta dos empresários. Segundo adiantou Suzana, o sindicato não vai fechar um acordo sem ganho real, mesmo que a negociação se estenda ainda mais. “O resultado do acordo é retroativo à data-base da categoria, que é 1º de maio”, lembrou.

O sindicato continua distribuindo nas redações panfleto da Campanha Salarial e conversando com os profissionais sobre a situação. Em julho passado, diretores dos  sindicatos dos jornalistas, radialistas e gráficos, selaram acordo no sentido de caminharem unidos na Campanha Salarial 2008. “Os profissionais sabem que a mobilização das categorias é fundamental para pressionar os empresários a reverem suas propostas, por isso,  acompanham os resultados de cada reunião de negociação”, destacou Suzana.

Principais reivindicações dos jornalistas
Aumento real de 5% nos salários
Reposição da inflação do período
Tíquete alimentação

Piso salarial dos jornalistas no Espírito Santo
*  Jornada de cinco horas
TV e jornais da capital: R$ 1.000,00
TV e jornais de outros locais: R$ 730,00
Rádio da capital: R$ 850,00
Rádios de outros locais: R$ 730,00