No ar, mil textos de Aloysio Biondi

Projeto de memória disponibiliza em site artigos, reportagens e entrevistas do jornalista, considerado um dos maiores que o país já teve. Sete anos de catalogação de material impresso, pesquisas em bibliotecas públicas, visitas a jornais, discussões via e-mail, construção de página na internet, escaneamento, xerox e digitação, mutirões de inserção de textos. O resultado? Mil artigos e reportagens no ar.

 

Essa é a marca comemorada neste maio pelo projeto O Brasil de Aloysio Biondi (www.aloysiobiondi.com.br), que sistematiza a obra do jornalista, vencedor de dois prêmios Esso e apontado como um dos nomes de referência do jornalismo econômico no Brasil.

 

Entre os temas abordados estão soberania nacional e dependência externa, privatizações e o papel do Estado, agricultura, emprego e renda, meio ambiente, direitos do consumidor e ética jornalística. Até o momento, o acervo online  abrange a produção de Biondi nas décadas de 60, 70, 80 e 90, incluindo as matérias com que ele venceu o Prêmio Esso.

 

A página, toda em software livre, traz também depoimentos de Aloysio Biondi em áudio e vídeo, além de fotos de momentos marcantes de sua carreira e de sua vida e reproduções fotográficas de alguns de seus principais trabalhos. Estão ali, ainda, testemunhos sobre ele escritos por Luis Fernando Veríssimo, Emir Sader, Washington Novaes, Janio de Freitas e Ziraldo, entre outros. Outro destaque é o perfil biográfico do jornalista elaborado por Thais Sauaya Pereira como trabalho de conclusão de curso na Faculdade Cásper Líbero.

 

O site, no ar desde dezembro, foi montado a partir do projeto de memória de Biondi, iniciado em 2000, ano de sua morte. Trata-se de um projeto coletivo, que reúne mais de 50 pessoas em participação voluntária. Colaboram parentes, amigos, ex-alunos e leitores do jornalista.

 

Contabilizando os que ofereceram colaborações mais esporádicas – revisar um texto, por exemplo –, o número de participantes passa de 200. A programação e o desenvolvimento são de Vitor Reis e Isabela Fernandes, ao passo que a criação e o design couberam a Renato Almeida Prado.

 

A estimativa é que o material disponível corresponde a cerca de metade da produção do jornalista. "Sabemos que ainda temos muito trabalho pela frente, no site e na organização do arquivo do Biondi, mas os mil textos certamente merecem comemoração", diz o coordenador do projeto, Antonio Biondi.

 

Ele acrescenta que, ao lado homenagem, existe a intenção de colaborar com a vida democrática e a discussão dos grandes temas do país: "Acredito que a expectativa de todo o grupo que construiu o projeto é que o site contribua efetivamente com os debates por um Brasil melhor e um jornalismo mais próximo do povo".

 

Contatos:

E-mail: brasilbiondi@yahoo.com.br 
São Paulo: Antonio Biondi – (11) 7488-5449
Brasília: Pedro Biondi – (61) 8162-1991
Rio de Janeiro: Oona Castro – (21) 8181-2505

 

Saiba mais sobre Aloysio Biondi

Quarenta e quatro anos de jornalismo, mais de 2 mil textos publicados. Neles, um intenso esforço de traduzir a realidade brasileira, interferir nela, permitir que, com base na informação, os brasileiros se manifestassem sobre os rumos do país. Por isso, Aloysio Biondi sempre optou por um texto acessível, original, sem os vícios da linguagem técnica dos especialistas da economia – área em que priorizou sua atuação. As matérias e artigos deixavam clara sua visão crítica e reviravam os conceitos que continham, mostrando que, muitas vezes, um determinado fato poderia, para a maioria da população, ser interpretado como o oposto do que vinha sendo veiculado pela imprensa. Essas características, apoiadas num obsessivo trabalho de garimpagem de dados, fizeram com que Biondi fosse considerado um dos maiores jornalistas que o Brasil já teve.