Nova pesquisa confirma amplo apoio à exigência do diploma

Pesquisa divulgada pelo site Comunique-se nesta terça-feira (28/10) confirmou a aprovação da esmagadora maioria de seus usuários à obrigatoriedade do diploma para o exercício da profissão. Os dados assemelham-se aos da pesquisa FENAJ/Sensus, realizada em setembro. Lançamentos do livro “Formação Superior em Jornalismo: uma exigência que interessa à sociedade” e a constituição de Comissões Estaduais da Campanha em Defesa do Diploma são as prioridades do movimento neste momento.

A pesquisa do site Comunique-se foi enviada por e-mail a seus usuários no dia 23 de outubro. Destes, 2.232 responderam às perguntas sobre a exigência do diploma para o exercício do Jornalismo, a criação de um órgão como a OAB para regular a atividade profissional e sobre a criação do Grupo de Estudos do Ministério do Trabalho e Emprego para atualizar a regulamentação da profissão. Na pesquisa havia espaço para que, caso quisessem, os participantes justificassem suas opções.

Quanto à exigência do diploma, 73,9% dos participantes foram favoráveis. E 68,4% defenderam a criação de um órgão que fiscalize o exercício regular da profissão. E 70% aprovaram a criação do Grupo de Estudos do MTE.

Valci Zuculoto, diretora de Educação da FENAJ e membro da Coordenação Nacional da Campanha em Defesa do Diploma mostrou satisfação com o resultado da pesquisa do Comunique-se. “A maioria dos usuários do site são jornalistas, estudantes ou da área de comunicação e os resultados mostram uma sintonia dos participantes com os anseios da sociedade”, disse, elogiando a iniciativa do Comunique-se

Ela lembra que a pesquisa FENAJ/Sensus, que apresentou números semelhantes à do Comunique-se, foi feita em todo o país e consultando toda a sociedade. Nela, dos dois mil entrevistados, 74,3% mostraram-se favoráveis ao diploma e 74,8% favoráveis a criação de um órgão que fiscalize o exercício da profissão.

Segundo Valci, todas as consultas que têm ocorrido mostram amplo apoio social à exigência do diploma. E para reforçar seu argumento, lembra, também, da enquete promovida pelo Correio de Uberlândia, no seu site, onde 79% dos internautas foram favoráveis à exigência do diploma. "Estas pesquisas são mais um elemento a demonstrar o que os estudos científicos e debates que travamos na categoria já apontam, que a exigência do diploma é fundamental para o exercício do Jornalismo com qualidade e ética", finalizou

Mobilização prossegue

Realizado em Brasília, no dia 18 de outubro, o II Encontro de Professores de Jornalismo do Distrito Federal, Goiás e Tocantins contou com mais de 100 participantes e 60 trabalhos inscritos. O evento aconteceu na Faculdade de Comunicação da Universidade de Brasília e teve como tema "A formação do jornalista multimídia". Nele, a campanha em defesa do diploma foi um dos destaques nos debates.

Na semana passada, a presidente do Sindicato dos Jornalistas do Paraná e vice-presidente da FENAJ para a Região Sul, Aniela Almeida, realizou uma série de atividades no Norte do estado. Em Maringá juntamente com Rogério Fischer, diretor do Sindicato dos Jornalistas de Londrina, percorreu as redações divulgando o Prêmio Sangue Bom do Jornalismo Paranaense, a campanha de renovação da Convenção Coletiva de Trabalho e a campanha em defesa do diploma.

Em Londrina, onde ocorreu a I Semana de Jornalismo da UEL, de 22 a 24 de outubro, houve debate sobre o diploma e lançamento do livro “Formação Superior em Jornalismo: uma exigência que interessa à sociedade”. O presidente do Sindicato dos Jornalistas de Londrina e diretor da FENAJ Ayoub Hanna Ayoub teve destacada participação no evento, comentando uma exibição fotográfica e integrando uma mesa redonda sobre o estágio acadêmico. Aniela Almeida participou de uma mesa redonda sobre a exigência do diploma para o exercício do Jornalismo.

No Rio Grande do Sul, o Sindicato dos Jornalistas já iniciou o cadastramento de profissionais e estudantes que estejam dispostos a ir a Brasília acompanhar a votação, no Supremo Tribunal Federal, do recurso extraordinário que regulamenta a profissão de jornalista. A entidade pretende disponibilizar um ônibus para deslocamento dos interessados. Também vem debatendo com as escolas de Jornalismo, a possibilidade de paralisação na ocasião da votação.

O próximo lançamento do segundo livro em defesa do diploma – editado pela FENAJ em parceria com a Cátedra FENAJ-UFSC de Jornalismo para a Cidadania – está agendado para para o dia 31, em Ponta Grossa (PR) e em Belém do Pará o evento será no dia 5 de novembro, às 19n, na Federação da Agricultura do Estado. Em Fortaleza, haverá venda do livro e afixação do banner da campanha no II Fórum de Comunicação do Governo Federal no Nordeste, que será realizado nos dias 10 e 11 de novembro. Também no dia 11, o livro será lançado no Encontro de Comunicação da Universidade Potiguar (UNP), em Natal (RN).

As direções dos Sindicatos dos Jornalistas também discutem a constituição de Comissões Estaduais ou Locais para ampliarem a Campanha em Defesa do Diploma em suas bases. O Sindicato do Ceará já indicou seu diretor Claylson Martins para coordenar as atividades e em Pernambuco o indicado foi Ricardo Melo. Um dos encaminhamentos das Comissões Estaduais ou locais é a preparação de um novo Dia Nacional de Mobilização, que ocorrerá na data do julgamento do recurso sobre o diploma no STF.

 Fonte/texto: Fenaj