O 1º de Maio é fruto da luta pela fixação e redução da jornada

Há 122 anos, em 1886, na cidade de Chicago, Estados Unidos, uma greve pelas 8 horas de trabalho, recheada de muita luta, repressão, mortes e injustiças, entrou para a história. É ela a origem do 1º de Maio. A celebração do 1º de Maio tem sempre um sabor especial.

Hoje, depois de 122 anos em que as conquistas obtidas a partir de 1886 foram tão seriamente ameaçadas no Brasil, o 1º de Maio volta a lutar pela redução de jornada, sem redução de salário. Eletricitários, petroleiros, aeroviários, aeronautas, metalúrgicos, trabalhadores dos Correios, bancários, garis ou de qualquer outra categoria, a história se repete. As campanhas salariais enfrentam a estratégia patronal de retirar o máximo de direitos dos trabalhadores.É por isso que o 1º de Maio deste ano é tão importante. Nele, estaremos reafirmando que consideramos a redução da jornada a reivindicação central de nossa classe. 

O capital tira seu lucro do trabalho não pago. Quanto maior a jornada, maior o lucro. Então, a classe operária deve lutar para acabar com a apropriação do lucro pelo patrão. Ou seja, diminuir a jornada é atacar o coração do mecanismo de acumulação do lucro.  Hoje, no mundo todo, a burguesia se esforça para quebrar a coluna vertebral da classe trabalhadora. Por isso, precisa derrubar a conquista do horário fixo de trabalho e, conseqüentemente, impedir qualquer tipo de redução da jornada. Ao contrário, ela precisa aumentá-la. 

Festa em Camburi. Dia de luta, protesto e show
A Central Única dos Trabalhadores/ES está preparando junto com os seus sindicatos filiados uma grande comemoração na Praia de Camburi. Durante todo o dia, haverá atrações, como um torneio de futebol de areia inter categorias. E como acontece há vários anos, uma grande passeata de trabalhadores, com muitas bandeiras vermelhas, sairá do Pier de Iemanjá e seguirá pela avenida Dante Micheline, até o local da festa, onde haverá um palco montado para apresentação do show da banda Cidade Negra.  

 

A CUT-ES e outras entidades parceiras do evento estão esperando cerca de 10 mil pessoas. A concentração ocorrerá das 7 às 9 horas, com a perspectiva de atrair mais de 100 ônibus de diversas partes do Estado, incluindo trabalhadores e representantes sindicais.

Também estão previstas assembléias de categorias que contam com data-base salarial do mês de maio, como limpeza e conservação, construção civil, metalúrgicos e terceirizados. O movimento deverá avaliar, ainda, as reivindicações salariais das categorias em data base. Os trabalhadores também vão protestar, pois está em curso a Campanha unificada pela redução da jornada de trabalho de 44 para 40 horas semanais, que ocorre em todo o país. Este ano, a CUT tem dois motivos para comemorar o 1º de Maio. A legalização das centrais sindicais como entidades de representação dos trabalhadores e seus 25 anos de existência. 

Programação 

De 7h às 8 horas  concentração no Pier Iemanjá, em Camburi. Distribuição de lanche na concentração.
9 horas Assembléias de Campanha Salarial das categorias que estão em negociação
9h30 Início do Torneio de Futebol de Areia inter categorias
10 horas Início da caminhada pela Avenida Dante Micheline (orla de Camburi)
11 horas Abertura oficial, com queima de fogos
11h30 Ato político
14h15 Apresentações locais na Tenda Cultural
16 horas Show com a banda Cidade Negra
18 horas Encerramento

 .