Patrões ignoram reivindicações dos jornalistas e apresentam proposta de reajuste zero

Uma nova rodada de negociação nesta quinta-feira, dia 10

As duas principais reivindicações dos jornalistas: aumento real e concessão do auxilio alimentação foram ignoradas pelos patrões nas primeiras negociações do acordo coletivo da categoria. Nesta quinta-feira, dia 10, às 9h30, no Sertes, e às 14h30, no Sindjores, diretores do Sindijornalistas e dos sindicatos patronais se reúnem mais uma vez.

Nas primeiras reuniões os sindicatos patronais propuseram: reajuste zero e a retirada de sete cláusulas que constam na Convenção em vigor, como as que tratam do piso salarial, obrigatoriedade de registro profissional, garantias para o empregado acidentado, manutenção da data-base (maio) e dia para pagamento de salário.

As principais reivindicações dos jornalistas são: reposição da inflação de 5,9%, ganho real de 5% e tíquete alimentação. "Também não vamos abrir mão do piso salarial reconquistado pela categoria, após 10 anos de luta, e de outras conquistas da convenção em vigor", afirma a presidente do Sindijornalistas, Suzana Tatagiba. "Como se não bastasse, os patrões querem, ainda, empurrar uma proposta de banco de horas que não traz nenhum benefício aos trabalhadores", completa. "Aliás, na maioria das categorias organizadas o banco de horas foi extinto, pois só tem a finalidade de acabar com postos de trabalho", finaliza Suzana.

Já a reposição da inflação é também inegociável, pois deve ser feita automaticamente na data-base, uma vez que as empresas reajustam seus preços e recuperam essas perdas, o que deve ser repassado aos salários que também ficaram defasados ao logo do ano.

Para o Sindijornalistas, que nesta quinta-feira continua com as negociações, esse comportamento mostra que a visão empresarial do patronato de comunicação capixaba, capitaneado pelas redes Gazeta e Tribuna, ainda é muita retrógrada. “Eles não reconhecem a importância dos profissionais que atuam em suas redações, quando o assunto é remuneração justa. Isso é o que se chama falta de responsabilidade social para com os seus trabalhadores”, diz Suzana.

Piso salarial dos jornalistas-ES
Jornada de cinco horas
TV e jornais da capital: R$ 1.000,00
TV e jornais de outros locais: R$ 730,00
Rádio da capital: R$ 850,00
Rádios de outros locais: R$ 730,00

Marília Poletti
Assessoria de Imprensa
Sindijornalistas-ES