Rede Tribuna descumpre sentença, volta a atrasar salários e não depositar FGTS


Apesar da Justiça Trabalhista no ES ter reafirmado, em sentença judicial, a legislação brasileira de que os salários devem ser pagos, INTEGRALMENTE, A TODOS OS JORNALISTAS ATÉ O QUINTO DIA ÚTIL DE CADA MÊS, a Rede Tribuna, descumprindo sentença e a própria legislação, não pagou até o quinto dia útil os meses de setembro e outubro.

O não pagamento tem gerado transtornos aos funcionários, agravados pela inexistência de uma comunicação transparente da diretoria da empresa junto aos profissionais, que não sabem quando irão receber.

O desrespeito é tanto que, sem nenhum comunicado prévio, a empresa também não pagou o adiantamento salarial na data certa. O pagamento só foi efetuado a alguns profissionais no dia 02 de outubro, após 16 dias de atraso.

Além do atraso dos salários, os jornalistas também denunciam que estão tendo prejuízos pelo não recolhimento pela empresa no prazo correto do FGTS. E quando solicitado junto ao RH, a informação é de que existe uma “fila” para os jornalistas que estão requerendo a regularização do depósito em suas contas.

O Sindijornalistas buscou a diretora de RH da empresa que se absteve, dizendo não ter nenhuma informação sobre o assunto, apesar da empresa já ter sido notificada. Infelizmente, até o momento a diretoria de A Tribuna também não retornou as ligações, e nem mesmo o ofício cobrando uma posição de regularização dos fatos.

O Sindicato já está recorrendo denunciando que a Rede Tribuna, ao contrário do que tinha se comprometido na última audiência, não vem respeitando o cumprimento dos direitos legais. Repudiamos a diretoria da Rede Tribuna que ignora o princípio da transparência, não informando aos seus contratados as datas de pagamentos.

Reforçamos ainda a importância dos profissionais encaminharem as documentações para que sejam levadas à justiça, garantindo sempre o sigilo necessário.