Sindicato cobra concurso público, apuração do grampo e força-tarefa federal

Um ato público reuniu representantes de vários movimentos sociais e sindicatos no Centro de Vitória, na última terça-feira, cinco de junho. O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Espírito Santo também esteve presente na manifestação, que defendeu a valorização do funcionalismo público e a vinda da força-tarefa federal ao Estado para apurar as denúncias de corrupção levantadas pelo Tribunal de Justiça do Espírito Santo. As denúncias envolvem diversas prefeituras e apontam, inclusive, envolvimento do ex-governador Paulo Hartung em possível enriquecimento ilícito na venda de terrenos em Presidente Kennedy. 
 
Grampo
O Sindijornalistas lembrou o caso do grampo na Rede Gazeta. Até o momento, o andamento do processo na esfera estadual não tem atendido aos anseios da categoria e de toda a sociedade capixaba. Até agora não puniram quem mandou nos grampear. Os principais acusados ainda conseguiram misteriosamente ganhar mais força na esfera pública. Temos medo. "Quem nos garante que não continuamos sendo grampeados? O meu celular e de vários colegas jornalistas são sempre problemáticos, indiferente da operadora. Já troquei de operadora no início melhorou, depois os problemas voltaram. Tenho plano família, de todos normais, mas o meu sempre estranho. E isso tem acontecido com vários colegas de redação. É muito estranho. E quando estamos apurando algo no telefone que envolve algum ente público, misteriosamente as fontes deixam de falar”, desabafa um jornalista de um veículo do Espírito Santo.

Concurso Público
Outro ponto destacado pelo Sindijornalistas é a importância do concurso público. São muitos os jornalistas contratados ilegalmente, já que, pela constituição federal, comissionados só podem exercer a função em cargo de chefia. O sindicato exige um concurso público que contemple os assessores de imprensa para os órgãos e autarquias estaduais. É preciso, ainda, uma total reformulação e valorização da Rádio e TV/ES. “Um veículo de valor histórico está sendo utilizado como porta-voz oficial. A sociedade exige um novo concurso para jornalistas e profissionais de comunicação que possa dar estruturas para que a RTV-ES seja novamente vanguarda. É necessário que o sistema público atenda aos anseios da população. Atualmente, os poucos jornalistas que atuam na RTV fazem verdadeiros milagres por amor à profissão”, destacou o Diretor de Comunicação do Sindijornalistas, Douglas Dantas.

Paralelo ao ato, os estudantes também protestaram contra o sistema público de transporte. Reforçaram que, após a denúncia deles, o TJ-ES decretou a total ilegalidade do Sistema Transcol e determinou uma licitação geral até o final de 2012 para todo o sistema. Reivindicaram ainda uma redução na tarifa e melhoria nos serviços. Durante a manifestação, o trânsito, por conta de uma estratégia da PM, ficou caótico. Segundo apuramos, a PM bloqueou a Jerônimo Monteiro desde as 21h de segunda-feira com o objetivo de “desmobilizar os estudantes”, relatou um policial militar que preferiu não ser identificado devido ao grau hierárquico. Outra atitude suspeita da PM foi que, no lugar de estar defendendo o povo, estava filmando a manifestação, e com câmera na mão, tentando intimidar os manifestantes.

O Sindijornalistas, no entanto, destaca que não apoia a forma de manifestação desse grupo de estudantes, apesar das reivindicações serem justas e válidas. Defendemos a melhoria não somente do transporte público, mas de todo o serviço público. Acreditamos que uma tarifa pode ser mais justa, já que o atual valor não atende as demandas do trabalhador e não reflete na qualidade do serviço.

Confira abaixo texto do panfleto distribuído pelas entidades à sociedade:

EM DEFESA DA ÉTICA, QUALIDADE E VALORIZAÇÃO NO SERVIÇO PÚBLICO

Estamos novamente nas ruas para denunciar a continuidade da nefasta política implantada pelas elites dominantes do nosso estado, preocupadas em se perpetuarem no poder, utilizando-se de todos os artifícios, entre eles, o loteamento de cargos comissionados e DTs, em detrimento da realização de concursos públicos.

Ao contrário do que se vê na mídia, não é difícil o cidadão constatar o sucateamento das políticas públicas quando recorre a serviços básicos (saúde, educação, segurança etc.). Os servidores se esforçam para prestar um bom atendimento à população, porém, os governantes ignoram a necessidade de valorização das categorias desprezando as justas reivindicações tais como, condições de trabalho, revisão dos Planos de Carreiras, correção da tabela de subsídio do Quadro Permanente, Secult, Fafabes e Deares, atualização de benefícios como, por exemplo, o auxílio-alimentação no valor de míseros R$ 6,00 desde 1997.

Após anos tentando negociar com o governo, as categorias estão para dar uma basta no calote e sinalizam para deflagrações de greves. Na fila estão os servidores do Iema, da Junta Comercial (Jucees), do Incaper e do Ipem.
Exigimos força-tarefa federal nas investigações de corrupção no ES

O sucateamento não é só das estruturas de políticas públicas. Mas também da ética e da moralidade. Após mais um escândalo no Espírito Santo, os servidores e servidoras, junto com o Fórum Estadual em Defesa do Interesse Público (Fedip), exige que seja apurado pela força-tarefa federal, as denúncias do TJ-ES que cita o nome do ex-governador Paulo Hartung e de seu secretário José Teófilo em documento que já levou mais de 28 pessoas para a prisão, entre elas o prefeito de Presidente Kennedy (ES) durante a operação da Polícia Federal que ficou conhecida como Lee Osvald.

Indícios também ligam a construtora Delta, do caso Cachoeira, ao ex-governador. Durante os oito anos de governo PH, a empresa, segundo a imprensa nacional, chegou a faturar mais de 200 milhões em contratos no Espírito Santo. O mais estranho é a articulação do governador Renato Casagrande tentando impedir a vinda
da força-tarefa para o Espírito Santo.

O Fedip continua defendendo que a força-tarefa federal tenha autonomia para fazer uma investigação minuciosa e apurar as denúncias. Um serviço público eficiente passa pela valorização dos servidores e a eliminação da corrupção.
O apoio da sociedade capixaba é fundamental para passar o Espírito Santo a limpo

Acessem nosso blog www.fedipesblogspot.com e compartilhe com seus amigos.