Sindicato dos Jornalistas exige imediata remoção da TV Educativa do “Carmélia”.

É de conhecimento público que o Centro Cultural Carmélia, inaugurado no governo de Gerson Camata (1983-1986), não tem as mínimas condições de abrigar a TV Educativa do Espírito Santo.

Entretanto, apesar de já termos oficializado diversas vezes, por reuniões e documentos, os responsáveis pelo terreno e pela emissora (Prefeitura de Vitória e Governo do Estado, respectivamente), bem como os operadores de segurança (Secretaria Municipal de Segurança, Secretaria Estadual de Segurança), até agora continua a situação de abandono do Centro Cultural Carmélia, da própria TV Educativa e, principalmente, dos servidores da emissora que convivem diariamente com total insegurança no local.

Este quadro de abandono de uma TV Estatal, concessão pública que pertence ao povo do Espírito Santo, se arrasta há muitos anos e a cada governo os Sindicatos dos Jornalistas, Radialistas e Sindipúblicos, reiteram seus pedidos de utilização cidadã da emissora e da remoção dos seus funcionários do Carmélia, que, reiteramos, é um local inseguro e sem a infraestrutura adequada para uma emissora de televisão.

Para agravar ainda mais a caótica situação, o terreno e o imóvel encontram-se abandonados pela Prefeitura Municipal de Vitória, sem muros e gradil, tornando-se lugares de livre acesso para a prática roubos, assaltos e intimidação de servidores.

Este quadro permanente prejudica a vida dos trabalhadores que, muitas vezes, precisam ser acompanhados pelos seguranças para entrar ou sair da emissora em uma situação de perigo, também, para os convidados que frequentam a TVE. No estacionamento do Carmélia, por exemplo, já houve tiroteio e até mesmo um corpo foi encontrado.

Este quadro se agravou no último mês com a demolição de prédios abandonados da Ilha do Príncipe, com frequentadores desses edifícios ocupando o o terreno do Carmélia.

Por entender que o Estado tem o dever de garantir condições de saúde e de segurança aos seus trabalhadores, denunciamos que é inadmissível o Governo do Estado continuar ignorando a necessidade de infraestrutura para o funcionamento da TV Educativa e manter em risco a integridade dos trabalhadores.

Exigimos providência imediata do Governo do Estado no sentido de transferir as atividades da TV Educativa para outro local e de garantir condições dignas de trabalho para que os profissionais possam exercer uma comunicação pública e democrática para o povo capixaba.

Diretoria do Sindicato dos Jornalistas do Espírito Santo