Sindicato orienta Tribuna a respeitar férias já programadas de jornalistas

redetribuna_okApós promover a demissão em massa de profissionais de imprensa, a Rede Tribuna vem suspendendo e remarcando férias (já programadas) de jornalistas. O que além de gerar insatisfação entre os empregados atinge a saúde dos trabalhadores, que vivem um momento emocionalmente difícil em virtude do desligamento de colegas.

O Sindicato dos Jornalistas encaminhou, na semana passada, um ofício para a direção de Recursos Humanos da Rede Tribuna para que garanta o cumprimento das escalas de férias que já haviam sido programadas e comunicadas aos profissionais.

Alguns jornalistas estão há mais de um ano sem gozar de férias. O que além de ser prejudicial para saúde do profissional pode, inclusive, prejudicar o seu desempenho no dia a dia, agravando a situação de cansaço e estresse.

As recentes demissões de jornalistas promovidas pela empresa não podem e não devem prejudicar, ainda mais, os trabalhadores que continuam nas redações e que já sofrem com a precarização do trabalho e a tensão do dia a dia. Até porque sem jornalistas não tem informação, não tem notícia, não tem jornal.

O Sindicato tem acompanhado, de perto, os fatos ocorridos na Rede Tribuna e tem atuado de forma incisiva para que os direitos dos trabalhadores jornalistas que continuam na Rede e dos que foram desligados sejam respeitados.

Vale destacar o recuo da empresa quanto ao parcelamento das verbas rescisórias dos jornalistas desligados. A empresa tem feito o pagamento total das verbas, conforme é de direito do trabalhador e como o Sindicato desde o início vinha cobrando.

Atendimento – para esclarecer dúvidas sobre o assunto é só o profissional procurar a direção do Sindijornalistas ou agendar consulta com a assessoria jurídica da Entidade.