Sindijornalistas conquista 4% de reposição para a categoria

Diante de um cenário da pandemia da Covid-19 e após diversas rodadas de negociações e realização de  assembleias, a Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) 2021/2022 foi assinada com reajuste de 4% para a categoria, a ser pago na folha de pagamento de julho.

O reajuste incidirá sobre os salários vigentes em 30 de abril de 2021. O percentual será aplicado a todos os níveis salariais. O reajuste recompõe parte do INPC acumulado  entre 1º de maio de 2019 e 30 de abril de 2020 (2,46%) e de 1º de maio de 2020 a 30 de abril de 2021 (7,59%), conforme divulgado pelo IBGE.

Para o coordenador de Finanças do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Espírito Santo (Sindijornalistas/ES), Lucyano  Ribeiro, as negociações foram positivas. “Saímos de uma proposta de apenas abono, em duas vezes e chegamos a 4% da inflação e o reconhecimento pelas empresas de uma perda de 6,22%, que somados aos 4% já incoporporados nas folhas de pagamento de maio passado, totalizam 10,22% da inflação no período compreendido entre abril de 2020 a abril de 2021”, afirmou.

A coordenadora de Formação Sindical e Relações Institucionais e Sociais, Suzana Tatagiba, destacou que, apesar de não ter sido alcançado o índice devido de 10,22%, foi importante, em uma época tão difícil de pandemia,  conseguir fechar o reajuste e obter a garantia de que em janeiro de 2022 voltam as negociações.

Teletrabalho

Em relação ao teletrabalho, Lucyano Ribeiro afirmou que foi aceita a proposta de negociação por empresa em função da diversificação das empresas que vão  micro e pequenas aos grandes veículos de comunicação e que, lamentavelmente, este ponto não foi incluído como cláusula na Convenção.

Para  o coordenador-geral do Sindijornalistas, Douglas Dantas, a negociação em relação ao teletrabalho, revela a falta de respeito do empresariado com seus profissionais.

“Uma categoria que não parou um só dia durante toda pandemia, inclusive colocando sua vida em risco e trabalhando em locais de alto risco de contaminação. A negativa de convencionar o teletrabalho mostra que não há compromisso do empresariado com a saúde e qualidade de vida do trabalhador. A proposta do Sindijornalistas  deixava em aberto a negociação por empresa mas,  mesmo assim, se negaram”.

O coordenador-geral observa, ainda, que o percentual da revisão é muito aquém da inflação mas que o  “ Sindijornalistas quer, de fato, o cumprimento  do compromisso do empresariado de repor o percentual que falta, além de discutir e implementar normas de teletrabalho, mesmo que seja  por empresa”. Ressalvadas tais questões, Dantas considerou  positiva a conquista do Sindicato diante da conjuntura que o país atravessa e destacou que, em janeiro de 2021, “ estaremos de volta à mesa de negociação para tentar zerar o percentual devido antes da próxima convenção que começa no mês de maio de 2022”.

Foto: Marcello Casal JrAgência Brasil

Sindicato dos Jornalistas do ES | Convenção Coletiva de Trabalho 2021/2022 entre o SINDIJORNALISTAS/ES e o SERTES (sindijornalistases.org.br)

Sindicato dos Jornalistas do ES | Convenção Coletiva de Trabalho 2021/2022 entre SINDIJORNALISTAS-ES e SINDIJORES (sindijornalistases.org.br)