Sindijornalistas é presença confirmada no Grito dos Excluídos

Realizado por entidades da sociedade civil organizada, como sindicatos e movimentos sociais, em parceria com o Departamento de Pastoral da Arquidiocese de Vitória, o Grito dos Excluídos 2010 tem como tema “Onde Estão Nossos Direitos? Vamos às Ruas para Construir um Popular”. O ato acontecerá no dia sete de setembro e vai contar com a participação do Sindijornalistas. Os objetivos são denunciar a exclusão social, causada pela concentração de riqueza e renda; tornar público os rostos dos excluídos e propor alternativas em relação ao sistema neoliberal como forma de desenvolver uma política de inclusão social que garanta participação ampla de todos e todas.

Além do Sindijornalistas também irão participar entidades como a Pastoral Carcerária, Comissão de Justiça e Paz da Arquidiocese de Vitória (CJP), Sindibancários e Olho da Rua. A secretária geral do Sindijornalistas Sueli de Freitas ressalta a importância de toda a categoria participar do Grito dos Excluídos. “É muito importante que estejamos todos no Grito dos Excluídos. Estamos falando da vida, que tem que estar em primeiro lugar. Infelizmente, no mundo capitalista, o que vemos é justamente o contrário: o lucro em primeiro lugar”, afirma.
 
A concentração para o Grito dos Excluídos será a partir das 8h, no Sambão do Povo, de onde os participantes seguirão em caminhada rumo ao Palácio Anchieta. A manifestação será dividida em três blocos: contra a violência e o extermínio de jovens (Sistema Prisional), pelo limite da propriedade de terra (Sistema Econômico) e pelos direitos básicos, como saúde e educação.

De acordo com o coordenador do Departamento de Pastoral da Arquidiocese de Vitória Padre Kelder Brandão durante o primeiro bloco, que faz referência à Campanha Nacional Contra o Extermínio da Juventude, os participantes erguerão faixas brancas com o nome de pessoas de suas comunidades que foram vítimas de violência. “Essa é uma forma de humanizar essas pessoas, já que o Estado as trata apenas como número, limitando-se a mostrar dados sobre a violência dizendo se ela aumentou ou não. Aqui no Espírito Santo ela só tem aumentado”, explica. Segundo Padre Kelder, nesse bloco também será abordada a questão da violência contra a mulher. “Uma pesquisa recente mostrou que o município brasileiro com os maiores índices de violência contra a mulher é aqui do Estado, é a Serra”, afirma.

Durante o Grito 2010 também haverá votação do Plebiscito Popular do Limite de Propriedade da Terra com urna itinerante.