Sindijornalistas lança enquete sobre saúde

Os jornalistas do Espírito Santo estão convidados para votar na enquete que se encontra em nosso site. Com a pergunta: "Você possui alguma doença ocasionada pelo exercício profissional?", o Sindicato procura averiguar quais são as doenças que mais atingem os jornalistas para mudar a situação por meio de mobilizações e dicas sobre como evitar problemas de saúde.

 

De acordo com o secretário de comunicação do Sindijornalistas Douglas Dantas muitos profissionais estão com diversos tipos de patologias, inclusive com graves problemas psicológicos, afetando sua vivência social e familiar. “Uma das ações que pretendemos adotar após o resultado da enquete é desenvolver um programa de Saúde, cobrando responsabilidades inclusive dos empregadores”, afirma Douglas.

A coordenadora do Departamento de Saúde da Fenaj Gláucia Regina Loriato e membro do conselho fiscal do Sindijornalistas, acredita que a iniciativa do sindicato pode auxiliar nas atividades da Federação. “Se cada um dos sindicatos procurar saber quais as principais doenças que atingem a sua base o trabalho do departamento de saúde pode fazer uma atuação voltada para a realidade específica dos trabalhadores em cada uma das localidades”, explica.

Segundo a pesquisa "Mudanças no Mundo do Trabalho e Impactos na Qualidade de Vida do Jornalista", de autoria do psicólogo Roberto Heloani, muitos jornalistas têm uma carga horária de trabalho superior a 12h, além de fazer plantões nos finais de semana e feriados. Isso ocasiona graves problemas na vida pessoal desses profissionais, como falta de tempo para a família, a leitura, o lazer, os cuidados da casa e o esporte, levando o indivíduo ao sedentarismo. A mesma pesquisa aponta que 77,28% dos jornalistas sofrem de estresse.

Roberto Heloani também é mestre em Administração de Empresas, doutor em Psicologia Social, pós-doutor em Comunicação Social, professor e pesquisador da Fundação Getúlio Vargas e professor conveniado da Universidade de Nanterre – Sorbonne IV – França. Para saber mais detalhes da pesquisa basta acessar o site da Fenaj, no link destinado ao departamento de saúde.