Sindijornalistas vai denunciar Tv Capixaba por prática antissindical a órgãos nacionais e internacionais

tv capixabaDepois de descumprir vários direitos trabalhistas, e ser denunciada ao Ministério Público do Trabalho, a Tv Capixaba, retransmissora da BAND no Espírito Santo,  demitiu, sem justa causa, seis jornalistas, filiados ao Sindijornalistas ou ativos na defesa de seus direitos.

Este episódio aconteceu após os profissionais se negarem a aceitar a precarização do trabalho imposta pela empresa com acúmulos de função sem recebimento, não pagamento de hora extra e cobrança de providências da emissora na condução da jornada legal de trabalho.

Prática antissindical – A assessoria jurídica do Sindijornalistas ressalta que, além do descumprimento dos direitos trabalhistas já denunciados, essa atitude da Tv Capixaba pode ser caracterizada como infração grave a Convenções Internacionais do Brasil junto à OIT, pois demissão de apenas profissionais sindicalizados e participativos junto à categoria é considerada retaliação e prática antissindical.

Também a emissora está descumprindo a legislação brasileira, quando a CLT garante a livre associação e participação dos trabalhadores em sindicatos e associações agremiativas sem sofrer nenhum tipo de retaliação.

Nos dias que antecederam às demissões os jornalistas vinham sofrendo ameaças e assédio moral, e alguns chegaram inclusive a escutar de diretores da empresa a seguinte frase: “se você quer crescer na carreira, não pode se ater à essas questões trabalhistas”.

“A situação é grave, absurda e desrespeitosa. Entre os demitidos estão profissionais com mais de 20 anos de emissora. Todos eles sem nenhum tipo de atitude que desabonasse a conduta ética profissional, e sempre recebendo respeito e carinho dos demais jornalistas e da sociedade capixaba”, afirmou Suzana Tatagiba, diretora do Sindicato e da Federação Nacional dos Jornalistas.

O Sindijornalistas não aceita a justificativa da emissora de que os cortes foram por meras questões financeiras. Novos profissionais já estão atuando nas vagas dos demitidos, contratados, segundo denúncias, de forma ilegal. Portanto, além das  denúncias a órgãos nacionais e internacionais o Sindicato também tomará todas as medidas jurídicas cabíveis.