Sindijornalistas/ES e Fenaj reiteram pedido de vacinação contra a Covid-19 para jornalistas. Governo Casagrande silencia

Dados divulgados nesta semana pela Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) apontam que diversos municípios e estados brasileiros estão atendendo pedidos da Federação e de sindicatos de jornalistas no sentido de vacinar a categoria contra a Covid-19. Até o momento, aqui no Estado,  a Fenaj e o Sindijornalistas/ES só obtiveram silêncio por parte do governo Casagrande de quem aguardamos manifestação oficial desde fevereiro, data  de nosso primeiro pedido.

No último dia 15 de junho, reiteramos solicitação via oficio, e, inclusive, pedimos audiência com o próprio governador, Renato Casagrande para defender, presencialmente, a vacinação vez que jornalistas estão diariamente expostos ao vírus em suas jornadas de trabalho. De acordo com os dados da Fenaj, o número de contratos de trabalho extintos por morte de trabalhadores no setor de comunicação cresceu 129% nos primeiros meses de 2021, em  comparação com o mesmo período de 2020.
O número absoluto saltou de 293 para 672 mortes, considerando-se os desligamentos dos setores de comunicação e informática, que só ficam abaixo das áreas de educação (1.479) e da administração pública, defesa e seguridades social (794).

A inclusão da categoria no Plano Nacional de Imunização (PNI) se justifica, em um primeiro momento, porque o decreto do governo federal Nº 10.288, de 22 de março de 2020, que regulamentou a Lei nº 13.979, de 6 de fevereiro de 2020, define atividades e serviços relacionados à imprensa como essenciais. No entanto, o governo federal não incluiu a categoria no PNI o que, na  opinião do Sindijornalistas/ES, se trata de  uma atitude deliberada do presidente Bolsonaro que, reconhecidamente, ataca a imprensa e tenta desacreditá-la, diariamente. Comprovadamente, ações como a do presidente contra medidas profiláticas e prevenção da doença favorecem a circulação do vírus, a doença e a morte.
Até o momento, os governos da Bahia, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Piauí, Roraima, Goiás, Pará e Tocantins, além de várias prefeituras, atenderam ao pedido da Fenaj e sindicatos estaduais. No Espírito Santo, o Sindijornalistas-ES e a Fenaj protocolaram dois ofícios, sendo um na Secretaria de Saúde e outro no gabinete do  governador Renato Casagrande, mas até o momento não houve nenhuma resposta oficial. Queremos saber  por que Casagrande silencia.