Violência no ES será denunciada nesta quinta, Dia Internacional de Luta da Mulher

Amanhã – 8 de março – as capixabas vão parar Vitória. A concentração do ato será a partir das 13 horas, na Pracinha de Jucutuquara, com caminhada até o Palácio Anchieta/Centro.

 “Mulheres em luto na luta”. A data neste ano vai denunciar o feminicídio, sobretudo, de mulheres negras, e exigir a revogação da Reforma Trabalhista. Será também um dia de luta contra os retrocessos dos direitos sexuais e reprodutivos.

Emilly Tenorio, integrante do Fórum de Mulheres do ES, um dos movimentos que participa da organização do ato em Vitória, conta que historicamente a data é de manifestações e greves de trabalhadoras por melhores condições de vida. Ressalta que a marcha é ainda pela visibilidade das mulheres em toda sua diversidade: do campo, da cidade, indígenas, quilombolas, ribeirinhas, transexuais, bissexuais e lésbicas.

Segundo ela, o 8 de março unifica mulheres pela busca de direitos, contra o sistema machista, racista e capitalista que oprime e explora. “Lutamos contra PEC 181/2011, que proíbe o aborto em todos os casos, inclusive os já previstos pela legislação brasileira, como o estupro ou gravidez que gere risco de morte para a gestante”. No ano passado, as capixabas se manifestaram nas ruas contra a Reforma da Previdência.

Pelo fim do feminicídio. O “Mapa da Violência 2015: Homicídio de Mulheres”, aponta Vitória como a capital com maior taxa de feminicídios no Brasil. O município de Sooretama, no Noroeste, tem o 3º maior índice. O estado também lidera os assassinatos de negras e aparece como o 2º com maior taxa de homicídios femininos no país (9,3 homicídios a cada 100 mil mulheres).

“As modalidades de agressões físicas se perpetuam na tentativa de colocar entraves a qualquer conquista de autonomia social, cultural, econômica e política”, ressalta Edna Martins do Fórum de Mulheres. Para Edna, é necessário mais investimentos em políticas públicas de prevenção e combate a violência contra a mulher.

“Queremos evitar a violência, mas se ela acontecer, as mulheres precisam do acesso aos serviços essenciais e estes devem estar preparados para atendê-las com qualidade e respeito”, completou Edna.

Serviço:

8 de Março – Mulheres de luto em luta

Data: 08/03/2018 (quinta-feira)

Horário: a partir das 13 horas

Local (concentração): Organização do 8 de março/2018

Fonte: Organização do 8 de março/2018