Mais de 30 jornalistas disputaram eleições municipais

Defesa dos direitos da categoria, de direitos de LGBTQIA+, a luta contra a ameaça à democracia e aos direitos dos cidadãos estão entre os motivos que levaram mais de 30 jornalistas disputaram as eleições municipais deste ano, no Espírito Santo. Apenas um foi eleito, Anderson Muniz, que disputou uma vaga de vereador na Serra. Entre os não eleitos, 16 ficaram como suplentes. O levantamento foi feito pelo Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Espírito Santo (Sindijornalistas/ES).

“Durante minha campanha, abordei a questão ambiental e a mobilidade urbana. Sempre, é claro, defendendo a liberdade de expressão”, afirmou Anderson Muniz.

Ao todo, são 30 candidatos que declararam ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) ter como profissão “jornalista/redator”. Uma candidata consta na profissão “outros” e outro “servidor público estadual”, totalizando 32 candidaturas.

Inês Simon, da Comissão de Ética do Sindijornalistas disputou uma vaga de vereadora por Vila Velha. Já Lucyano Ribeiro, coordenador de Finanças do Sindicato, foi candidato a vereador por Vitória, ambos pelo PT.

“A maior motivação para a nossa candidatura em 2020 foi a ameaça que continua a pairar sobre a Democracia e os Direitos de Cidadania”, afirmou Inês. Por sua vez, Lucyano defende que “dar e ampliar as vozes dos Jornalistas Profissionais foi nosso principal objetivo e creio que atingimos com muita responsabilidade, humildade, ética e honra”.

Vitória e Vila Velha tiveram o maior número de candidatos com o cargo “jornalista/redator”: 6 cada. Em seguida, vêm Serra e Guarapari, com 4 em cada cidade. Afonso Cláudio, Piúma e São Mateus tiveram 2 candidatos cada. Já Baixo Guandu, Conceição da Barra, Domingos Martins, Linhares, Mimoso do Sul e São Gabriel da Palha tiveram 1 candidato cada.

O cargo de prefeito foi disputado por cinco candidatos: Namy Chequer (Vitória), Bárbara Hora (Guarapari), Ferreira Junior (São Mateus), Paulinho Lima (Conceição da Barra) e Petrônio Antunes (São Gabriel da Palha). O cargo de vice foi disputado apenas por Ciglei Lima, na Serra. Os outros 26 candidatos concorreram aos legislativos.

O PT foi o partido com o maior número de candidatos: 5. O PCdoB, o Podemos e o Republicanos tiveram 3 candidatos cada. Dois candidatos disputaram por cada um dos seguintes partidos: Avante, Patriota, PSB, PSD e PTB. Já Cidadania, DC, DEM, PP, PRTB, PSDB, Rede e Solidariedade tiveram, cada um, um candidato.

A defesa de direitos iguais foi o que motivou a jornalista Andressa Moreno a disputar uma vaga de vereadora em Vitória. “Minha pauta foi direcionada aos valores que defendo, especialmente à defesa de direitos de LGBTQIA+, que mostra-se uma pauta urgente em nossa sociedade”, afirmou.

Leia também:

“Nos manteremos nas próximas disputas”, afirma Inês Simon

“O jornalista tem papel fundamental na sociedade”, diz Lucyano Ribeiro

“Defesa de direitos de LGBTQIA+ é uma pauta urgente”, destaca Andressa Moreno

Jornalista eleito vereador defende liberdade de expressão